• Search form is empty!

  • Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

    Análise Semanal: Violet Evergarden #4 e #5 - Altos e Baixos, porém se firmando


    Primeiramente peço desculpas por não trazer as análises em dia como usualmente vinha fazendo, tive meus problemas de percurso e também não me agrada o fato de eu ter que escrever por pura obrigação no tempo em que me restou, logo houve a necessidade do atraso.

    De qualquer forma tivemos a sorte desses últimos dois episódios não necessitarem de uma análise mais profunda sobre os obstáculos do anime, já que prontamente o fiz nas minhas primeiras reviews sobre a obra, o que recomendo fortemente para aqueles que desejam entender melhor minha opinião a respeito do modelo de roteiro que Violet Evergarden possui.

    Sendo assim, darei como temporariamente feita a exposição dos detalhes mais pertinentes e deficitários, típicos do arranjo geral, entendendo dessa forma que eu tenha liquidado o assunto, de tal modo que eu possa focar exclusivamente nas questões mais superficiais e rotineiras.

    Agora, após dadas as devidas explicações iniciais precisamos retomar o foco ao quarto episódio de Violet Evergarden, aquele cuja trama não agradou a grande maioria, porém firmou finalmente o estilo explorativo da obra, característica até então aguardada e que foi demonstrado com mais clareza apenas no terceiro episódio.

    O episódio de número quatro custou a atender as expectativas. O conto ali abordado focou na já conhecida e não carismática colega de profissão de Violet, algo que contem certa duplicidade, sendo um aspecto necessário para cumprir o objetivo da obra de explorar o mundo ao seu redor, desenvolvendo cada personagem, ao mesmo tempo que é insatisfatório perante aos telespectadores graças a falta de possibilidades que a personagem traz, principalmente quando dirigida a ela todo o foco de um episódio como ocorreu.

    O seu desenvolvimento em si não foi de todo mal, tivemos novamente o que se mostra ser o ponto alto de Violet no quesito roteiro: a abordagem das emoções de cada personagem, mesmo com seus exageros e tropeços.
    Contudo faltou aqui maior dinamismo na progressão do episódio, fenômeno marcante anteriormente como também no episódio seguinte, o que deixou tudo "pacato" demais em um anime que demonstrou ser cheio de possibilidades, nem que seja ao menos em seu visual.

    Outra característica a ser comentada foi a falta de progresso aparente para nossa protagonista, algo que é um dos pontos chaves do desenrolar da trama e que até então foi notável no pouco a pouco em que a mesma ia compreendendo "o que são os sentimentos" de fato. Ora, se for apenas para mostrar os problemas da família de um semi-figurante e não gerar o aprendizado necessário na jornada de Violet para que serve tudo isso?

    Esses motivos criaram no término do episódio uma sensação de certa emotividade e consistência, porém uma consistência que está dentro de um nível de qualidade digna de se ignorar, sobretudo na comparação com os demais episódios.

    No entanto se no terceiro episódio faltou dinamismo, melhor exploração do mundo e trabalho com personagens, o quarto episódio veio para botar a casa no lugar e colocar de volta nos trilhos a obra, superando assim seu sucessor.

    Para não repetir na positiva o que já felei nessa review, me contentarei a expressar meu alivio e felicidade a ver o retorno da esperada qualidade no anime.

    Violet novamente saiu para o mundo exterior, porém como vimos anteriormente, apenas isso não é mais o suficiente para causar dinamismo no episódio, já que se outrora tudo era novidade, no momento apenas mostrar o mundo de forma simples e supérflua não atenderá mais as expectativas depositadas na continuação da obra."Queremos algo novo, queremos melhor desenvolvimento, queremos mais reviravoltas" dizem todos para qualquer um ouvir.

    Dessa forma, na necessidade de uma superação, existe o quinto episódio, onde tudo que estava no alcance foi explorado, desde os habituais momentos sentimentais ao aguardado dinamismo na forma em que a situação decorria, criando uma narrativa mais acelerada em ritmo crescente, que ia aos poucos desenvolvendo o roteiro e criando certa reviravolta aos moldes de Violet.

    Mesmo novamente com a presença de certos exageros e nada tão dramático, tivemos um bom momento, e a volta do real aprendizado de nossa protagonista, que surpreendeu um pouco estranhamente no quão rápido adquiriu o conhecimento e bom manuseio das palavras de cunho sentimental.

    No entanto, talvez o que mais surpreendeu foi seu final e a indicação de uma possível retirada de Violet desse mero dia a dia casual que ela vem tendo a partir de quando adquiriu seu emprego.

    Espero que o anime possa dar uma guinada diferente no futuro, não por falta de qualidade no presente, mas sim por todas as possibilidades que a estória vem dando disso não ser apenas um slice of life comum.

    Ps: Sei que dessa vez a review possa ter caído um pouco de qualidade, principalmente na segunda parte, mas a razão disso se da pelo fato de eu estar tentado evitar repetições desnecessárias em cada análise, logo nessas situações prefiro ser mais direto ao ponto e evitar qualquer enrolação.

    Nota do episódio 4: 3.25/5
    Nota do episódio 5: 3.75/5